GIRO DE NOTICIAS

CIDADES

Featured Post (Slider)

POLITICA

Java

Test Footer 2

ENTRETENIMENTO

Movie Category 3


Movie Category 5


Publicidade


Sub menu section

Publicidade



Seguidores

ALAGOA GRANDE

POLITICA

GALERIA DE FOTOS

POLICIAL

ENTRETENIMENTO

sexta-feira, 12 de julho de 2024

Aprovação ao governo Lula vai a 37% e se descola da reprovação, em 31%

Pesquisa divulgada pelo Ipec aponta leve melhora nos índices de avaliação do governo Lula (PT). A aprovação à gestão petista passou de 33%, em março, para 37% em julho e se descolou da reprovação, que oscilou de 32% para 31%. Outros 31% consideram a administração regular e 2% não sabem ou não responderam.

A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento feito entre os dias 4 e 8 de julho ouviu 2.000 pessoas com 16 anos ou mais em 129 municípios.

O resultado divulgado nesta quinta-feira (11) pelo portal G1 repete tendência verificada em pesquisas recentes do Datafolha e da Quaest.

No levantamento de março do Ipec, a gestão Lula havia registrado uma piora na aprovação (índices ótimo e bom), que havia passado dos 38% de dezembro para 33% e atingido seu nível mais baixo do mandato. A reprovação (índice ruim e péssimo), na ocasião, havia oscilado de 30% para 33%.

Os dados de julho revertem essa tendência e se aproximam dos patamares verificados no final do ano passado (quando a aprovação era de 38% e a reprovação, de 30%).

O melhor cenário numérico do governo Lula 3 na série histórica do Ipec foi em março de 2023, com 41% de ótimo/bom e 24% de ruim/péssimo.

Segundo os dados do instituto, neste mês de julho os avanços mais significativos na aprovação do governo foram entre as pessoas que vivem no Nordeste (cujo índice de ótimo/bom passou de 43% para 53%) e entre os que possuem renda familiar mensal de até um um salário mínimo (de 39% para 48%).

 

 

Folha Online

Paraíba confirma primeiro caso de Febre Oropouche, em João Pessoa; saiba o que é a doença

A Paraíba confirmou, nesta quinta-feira (11), o registro do primeiro caso da Febre Oropouche. A confirmação foi feita pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). O paciente é um homem de 34 anos morador de João Pessoa.

Como visto pelo ClickPB, o homem procurou serviço médico após apresentar sintomas de dengue. Antes de adoecer, ele viajou para Pernambuco. A suspeita é de que ele tenha sido contaminado durante a viagem.

O diagnóstico para Febre Oropouche foi confirmado por exame realizado no Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba (Lacen/PB).

“Diferente da Paraíba, Pernambuco já tem registros da doença em dez municípios, portanto, o caso não pertence ao nosso estado. O paciente voltou da viagem apresentando sintomas três dias após o retorno, fez exame para a dengue, chikungunya e zika, e deu não detectável, porém, por termos informações do cenário epidemiológico dos locais por onde ele passou, foi realizado pelo Lacen o exame necessário para o diagnóstico. É importante frisar que o usuário se recupera bem, está em casa, aparentemente saudável”, disse a técnica das arboviroses da SES, Carla Jaciara.

Sintomas da Febre Oropouche confirmada na Paraíba

Os sintomas da Febre Oropouche são semelhantes aos das arboviroses, como dengue, zika e Chikungunya. Ao apresentar os sintomas, a população deve procurar o serviço de Saúde mais próximo para receber o tratamento adequado.

Entre os principais sintomas estão: febre de início súbito, dor de cabeça, dor muscular e articular, tontura, dor retro-ocular, calafrios, fotofobia, náuseas, vômitos.

Diferente da dengue, zika e chikungunya, que são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, a Febre Oropouche tem como principal transmissor o mosquito maruim, também chamado de “muruim”, comum no território paraibano. A transmissão ocorre por meio dos mosquitos infectados.


clickpb

NA PARAÍBA: Servidores do INSS entram em greve por tempo indeterminado

Servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na Paraíba anunciaram, nesta quinta-feira (11), que vão entrar em greve por tempo interditado a partir da próxima terça-feira (16). A decisão foi tomada após a realização de duas assembleias (presencial e virtual) comandada pelo Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde, Previdência e Trabalho do Estado da Paraíba (SindsprevPB) com a categoria.

Os trabalhadores do órgão apontam falta de acordo com o governo federal sobre reajuste salarial, entre outros pleitos. A paralização atinge tanto quem trabalha de forma presencial nas agências quanto aqueles que  atuam em home office.

“Foram realizadas três rodadas de negociação entre o Ministério da Gestão e da Inovação (MGI) com os  servidores do Seguro Social, mas o governo não se mostrou disposto a atender as reivindicações da categoria. Por isso, estamos seguindo orientações do movimento nacional pela paralisação dos serviços”, destacou o diretor do Sindicato, Sérgio Fonseca, que faz parte do Comando de Greve, e também servidor do INSS.

Impacto – A expectativa é de que, de acordo com o Sindicato, a paralisação impacte na análise e  concessão de benefícios, como aposentadoria, pensões, salário  maternidade, auxílio reclusão, Benefício de Prestação Continuada (BPC), reabilitação profissional, acerto de cadastro, atendimentos presenciais (exceto perícia médica) e análise da recursos e revisões.

O que também pode ficar comprometido com a paralisação é a operação pente-fino —  que seria feita nos auxílios temporários para garantir a  economia de R$ 26 bilhões em despesas obrigatórias, anunciada pelo ministro da Previdência, Carlos Lupi, na semana passada.

O diretor Sérgio Fonseca informou ainda que o Comando de Greve já foi  formando e está organizando visitas às agências da previdência social na Capital e no interior para conscientizar e mobilizar a categoria para  adesão à paralisação. “Estamos lutando pela valorização do nosso trabalho, mas principalmente por melhores condições para que a população tenha um atendimento de qualidade”, ressaltou.

Reivindicações – Além de um reajuste que não recompõe as perdas salariais e aponta para desvalorização da carreira dos servidores, a  categoria está pleiteando:

– Condições de trabalho para atender mais e melhor a população;
–  Nível superior para o ingresso no cargo de Técnico do Seguro Social;
– Atribuições exclusivas, enquadramento como Carreira Típica de Estado;
– Reestruturação da tabela remuneratória de acordo a NT13 (com Adicional de Qualificação);
– Abertura das Mesas Setoriais com prazo improrrogável (Defesa do teletrabalho, novas regras para o Bônus e pontuação).

MaisPB

 
Copyright © 2014 BLOG DO RILDOSeguro Desenvolvido Por Netinho Soluções Web.